terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Metal Contra as Nuvens

E se tem uma coisa que chama a atenção (pelo menos a minha) é o mistério que há por detrás de alguma música, algum texto, alguma imagem... Por exemplo, ouço agora Europa, de Santana. Logo antes, ouvi Cliffs Of Dover, de Erik Johnson. Instrumentais que envolvem o ouvinte de uma forma inexplicável, porque são tocadas com sentimento. Mas, que sentimento? Se muitas vezes os versos são difíceis de se entender, imagine então uma música sem versos.

Mas, hoje, depois de tantos meses sem postagens (10 dias ou mais) tomei vergonha na cara e decidi fazer algo [F]útil.

Para isso vamos anallizar a letra de "Metal Contra as Nuvens", da Legião Urbana (quem não sabe?), que me intrigou semana passada pela subjetividade de seus versos. Enquanto isso, vou ouvindo Smells Like Teen Spirit (Nirvana, muito inspirador... ¬¬°).

Não sou escravo de ninguém
Ninguém senhor do meu domínio
Sei o que devo defender
E por valor eu tenho
E temo o que agora se desfaz

Viajamos sete léguas
Por entre abismos e florestas
Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais

Sou metal - raio, relâmpago e trovão
Sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Sou metal: me sabe o sopro do dragão

Reconheço o meu pesar
Quando tudo é traição
E o que venho encontrar
É a virtude em outras mãos

Mas minha terra é a terra que é minha
E sempre será minha terra
Tem a lua, tem estrelas e sempre terá

Quase acreditei na sua promessa
E o que vejo é fome e destruição
Perdi a minha sela e a minha espada
Perdi o meu castelo e minha princesa
Quase acreditei, quase acreditei

E, por honra, se existir verdade
Existem os tolos e existe o ladrão
E há quem se alimente do que é roubo
Mas vou guardar o meu tesouro
Caso você esteja mentindo

Olha o sopro do dragão

É a verdade o que assombra
O descaso o que condena
A estupidez o que destrói
Eu vejo tudo que se foi
E o que não existe mais

Tenho os sentidos já dormentes
O corpo quer, a alma entende
Esta é a terra de ninguém
E sei que devo resistir - Eu tenho a espada em minhas mãos

Sou metal - raio, relâmpago e trovão
Sou metal, eu sou o ouro em seu brasão
Sou metal: me sabe o sopro do dragão

Não me entrego sem lutar
Tenho ainda coração
Não aprendi a me render
Que caia o inimigo então

Tudo passa, tudo passará

E nossa estória não estará pelo avesso
Assim, sem final feliz
Teremos coisas bonitas para contar
E até lá, vamos viver
Temos muito ainda por fazer
Não olhe para trás, apenas começamos
O mundo começa agora, apenas começamos
Sinceramente, eu não entendi... :|
Mas vamos ver o que se pode tirar daqui.

Não ser escravo, não ter senhorio em seu domínio, saber o que se defende e quais os valores que lhe cercam é sem dúvida uma (ou várias) grande virtude. Quanto a temer o que se desfaz, não sei.
A prórpia fé destrói em dias desleais. Por quê? Talvez porque Renato jamais encontrou na Igreja o que responderia às suas indagações sobre a vida. Em minha opinião, deveria ter procurado mais, mas, nunca se julga aquele que não esteja dentro de si mesmo. Viajar sete léguas, a meu ver, por entre abismos e florestas, pode representar duas coisas básicas:
1- A busca pelas respostas que levou-o a lugares impensáveis (figurativamente, lógico!) e acabou por virar verso da música; ou
2- Renato era fã de Branca de Neve e os Sete Anões (vide fala do Espelho, para a Madrasta: "Depois das sete florestas, atrás das sete montanhas, na casa dos sete anões, Branca de Neve ainda vive..."; o.O

Pela solidão, torna-se metal, frio, rígido, solitário por si só. O raio, o relâmpago, o trovão, o ouro em um brasão qualquer, são símbolos solitários. Tão solitários, tão enrijecidos, frios, que nem mesmo o sopro de um dragão fora capaz de destruir o que há naquele coração gelado. Bem forte, não acham?

Sobre a traição ele é exato em sua colocação, pois quando ss dá conta dos erros, buscando sua correção, encontra outro em seu lugar, fazendo o certo. Se é pelo certo ou por aparência não importa; mas há outro em seu lugar. (...encontrar a virtude em outras mãos.)

Quanto à terra que lhe pertence, acredito ter sido em alusão à terra que cada um de nós possui e que, muitas vezes, entregamos de mãos beijadas à outras pessoas, ao mundo, aos vícios. Essa terra se chama consciência, liberdade, razão, paz, paciência. E nós as trocamos por ilusões, libertinagem, emotividade, egoísmo, orgulho... Somente aquele que souber delimitar suas "terras", souber até onde vão seus limites, aquele que se conhecer, estará para sempre seguro dos "ladrões" do mundo, que nos tiram os bens mais preciosos, "...os tesouros que os ladrões não roubam, que a traça não come, que a ferrugem não corrói." Sim, palavras do menino Jesus (pronunciem com sotaque inglês, pra ficar engraçado como o meu pensamento. Djísâs).

Quase acreditar quer dizer "quase cair na sua", e o "quase" dá uma boa impressão, pois em tempo ele teve consciência do erro que estaria cometendo em fazê-lo. O "quase" em muitas situações demonstra fraqueza, insegurança, medo. Quase ser feliz, quase amar, quase ser forte, quase acreditar na verdade... Mas quem quase morre, como disse Luís Fernando Veríssimo (ou estou enganado?) ainda vive, assim como quem quase acreditou numa mentira, quem quase cometeu um erro ainda tem consciência da verdade, daquilo que é certo e, em tempo, conseguiu abrir seus olhos e tomar outro rumo.

A verdade assombra, o descaso, condena e a estupidez destrói. Alguém duvida? Associem com essas palavras: Holocausto, África, Egoísmo. Depois, num futuro próximo, nos daremos conta de que nós mesmos somos os algozes da nossa decadência. Sim, o homem produziu tudo isso e destruiu o mundo, seja com a utilização exagerada de recursos naturais, seja com a poluição do ambiente. Nos daremos conta que nossos preconceitos criaram raças e que somos inimigos uns dos outros. Que nossa indiferença, egoísmo e interesses nos deixaram sem amigos. Que nosso orgulho fez com que abandonássemos os mais necessitados, que ignorássemos a fome, as doenças, a falta de saneamento. E que ignorássemos os resultados desse abandono.

Renato Russo parecia sentir exatamente o que o abandonado, o ignorado, o desprezado, sentiam. E através de muitas de suas músicas expressou esses sentimentos. É triste, mas ao mesmo tempo, super positivo, pois ALGUÉM finalmente conseguiu entender aonde chegamos.

Jamais pensar em desistir, em fugir, em querer pular do barco só porque uma onda jogou um pouco de água em cima do casco. Sempre, em qualquer situação, nossas forças serão maiores que qualquer problema, porque nós fomos criados pela perfeição, nós viemos do que é perfeito em todo o Universo. Quem prova o contrário? Os erros, os problemas, os vícios, isso são criações humanas e então, logicamente, não podem ser mais fortes que nós. Nenhuma criatura jamais será tão ou mais forte que seu criador, principalmente se formos nós os criadores, seres limitados e ainda materiais.

E pra encerrar, nada há a dizer além de "apenas começamos".

Acabou que eu encerrei sem ouvir qualquer música, aqui, sozinho, sentado, depois das seis, depois de alguns dias desde o início dessas palavras e pensamentos (e sentimentos). momentos difíceis para mim, mas sei (certo disso) que os bons amigos estão me inspirando e auxiliando muito nos momentos necessários, para que diga as palavras certas, na ordem certa, que venham os pensamentos certos e a força de vontade certa, sempre na hora certa, para que todas as coisas se resolvam.

A Isalinda veio me ver no último fds, então ainda estou feliz por isso. Mas amigos vcs sabem como é. Quanto mais tempo passamos perto, mais tempo queremos estar juntos. E com ela não é diferente. Já to com saudades dela e da Angela, que há umas semanas tbm esteve aqui.

Um minuto de silêncio em nome da Lurdinha, pessoa muito importante no Grupo Integrado, pois era Coordenadora Geral de Ensino, além de grande amiga dos dirigentes e proprietários do colégio e faculdade. Oremos por ela, pois foi uma morte deveras infeliz. -.-

Um momento de alegria quinta, com meu amoin e alguns amigos, é niver do Tiago (que mora com o Fabrício) e claro, vamos comemorar! Eu sei, não era sexta. Mas, e daí? Sexta teve formatura _hoho

Beejopratodomundo!


Hoje voltam as aulas... o.O
Postar um comentário