segunda-feira, 19 de junho de 2017

Segunda-Feira Blues

Não é que eu realmente pense que a segunda feira é um dia ruim. Qualquer dia pode ser tão ruim quanto o pior dia da sua vida. Da mesma forma, contribuir para que seu dia seja bom depende única e exclusivamente de você. Sim, contribuir vem de si mesmo, é uma participação ativa do indivíduo. Evidentemente, há diversos outros fatores que podem resultar em um dia bom ou não, independentemente dos seus esforços. No fim, você vai ver que seu dia foi bom - por pior que tenha sido - pois o trabalho enobrece e não há dia melhor do que o dia em que você se sente bem consigo mesmo.

Mas hoje, 19/06/17, acordei com algumas notícias ... como posso dizer? Sei lá. Me incomodaram.

1- Garota de rádio dos EUA diz possuir provas da existência do OVNI e dos aliens de Rosswell (1947). Depois de 70 anos (aniversário próximo, se não me engano), surgiu essa apresentadora de um programa de rádio dizendo que conseguiu documentos ULTRA TOP SECRET de uma fonte segura, que não pode ser identificada, que comprovam os estudos feitos, relatos, etc e etc. Um ufólogo do Reino Unido disse que, devido à proximidade com o aniversário do caso, é um hoax que servirá, em breve, para continuar desmentindo os trabalhos ufológicos.

Detalhes: a- a fonte segura nunca pode ser identificada. Por quê?
b- Wikileaks não liberou informações sobre o caso (até onde eu me lembre). Por quê?
c- Depois de anos, vários aposentados do governo, das forças armadas, entre outros, revelaram vários segredos que eram considerados "secretos" e nem sofreram retaliações. Mas, sobre Roswell, continua um grande mistério. Ninguém fala sobre isso. Estão tentando esconder ou estão tentando desvalorizar uma brincadeira do passado?

Agora eu falo pra todo mundo: TENHO MEDO DE ET. Não é bem assim, deixa eu explicar. Eu acredito sim em vida em outros mundos, pela minha visão religiosa e até científica. É irracional pensar que existe um universo imensurável e vazio. A lógica do nosso grãozinho de areia que chamamos planeta já nos mostra o contrário. Mas justamente o suposto et supostamente encontrado em Roswell depois de supostamente ejetar de seu suposto OVNI que supostamente caiu e explodiu me deixou com um medo de arrepiar tudo só de lembrar da cara feia dele. Eu era pequeno, passou no Fantástico, imagens exclusivas da autópsia dos seres alienígenas de Roswell. Fiquei anos negando pra mim mesmo a existência de aliens, até meus 19 anos. Aí eu vi umas paradas que me surpreenderam e o medo voltou. Sério. Levei um tempo pra aprender a pesquisar sobre as imagens e desmentir muitas das coisas que vi na TV e web. Enfim. Aprendi a controlar o medo. Mas pra aprender, tive que ler um bocado de coisas sobre ufologia, li Carl Sagan, estudei ainda mais a Doutrina Espírita... li mesmo. Li bastante.

Não bastasse isso, vi umas fotos de pesquisadores que "encontraram sinais de vida em Marte e na Lua". Estes sinais variam de sapatos e mãos petrificadas a bases subterrâneas (?) e uma estátua de Barak Obama (???). Sabe o que eu concluí? ACHAR DESENHO EM NUVENS. É isso o que me parece. Tem cientistas, médicos, professores, zeladores, o mundo inteiro de gente trabalhando e tem pessoas tentando achar formas conhecidas em fotos de baixa resolução liberadas pela NASA. AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHH
Estudem Carl Sagan e Neil deGrasse Tyson, vocês que querem encontrar vida alienígena. Tenho certeza de que estes dois autores somente serão suficientes para tirar da cabeça de vocês qualquer desejo de continuar esta procura ilusória.

2- Fiéis de mesquita são alvo de ataque com van em Londres. O que dizer sobre isso? Sério, estamos no século XXI nas contagens mais comuns no mundo e ainda não aprendemos a fazer outra coisa que não responder o ódio com o ódio. Não aprendemos que o ESTADO ISLÂMICO só é islâmico no nome, porque a comunidade islâmica NÃO ACEITA as ações deste grupo. Ainda não aprendemos que terrorista NÃO É SINÔNIMO de islã. Aí um cidadão joga uma van contra pessoas que estavam saindo de um culto religioso, mata dois, fere outros oito e sai gritando que quer "matar todos os muslims". Nas palavras de Theresa May, isso é tão doentio quanto a onda de ataques que o reino Unido sofreu nas últimas semanas. Pessoal, por favor! Mais amor! Conforme disseram representantes islâmicos e de outras religiões, inclusive cristãos que se dispuseram a ajudar as vítimas e proteger as mesquitas, unindo-se em oração, durante as últimas horas. O Papa, os líderes da Igreja Ortodoxa, do islã, até Divaldo Franco (que não é líder da Doutrina Espírita, mas é chamado como representante por ser o maior orador da nossa doutrina em atividade no mundo) se reuniram em algumas ocasiões, mostrando que as religiões não devem ser consideradas diferenças entre os homens, e que nós devemos nos unir em oração pela paz no mundo. O que nós não entendemos deste pedido? PAZ, PAZ, PAZ.

3- "Matador" morre após sofrer golpe de touro. Eu queria postar um GIF com aplausos, aqui. Não, não estou celebrando a morte do toureiro. Estou ironizando o tamanho da estupidez humana ao ainda celebrar este tipo de evento. Aí eu pensei "Ah, Espanha de meu Deus..." e descobri... que a tourada... foi realizada NA FRANÇA. (palavreado chulo prova da minha inferioridade moral). Não dá pra aprender com o erro dos outros? Não dá pra perceber o quanto um animal sofre durante este ato de tortura? Não dá pra imaginar seu pai correndo de um lado pro outro enquanto alguém enfia lanças nas costas dele? Claro que não, pois com a fraqueza do ser humano não teria nem graça. MAS QUE MONSTRUOSIDADE! Eu não consigo pensar em outra coisa sobre estas pessoas. Aí fazem um escândalo por causa de uma louca que mata um filhote sei lá do que. Mas o boi pode, né? NÃO, NÃO PODE! Aí morre o toureiro. Vão dizer o quê? Que o boi é mau, que o boi é violento. Ah, vá... Fazemos coisa pior "em legítima defesa", mas o boi não pode se defender.

Palavras da Humane Society International: "ninguém deve perder sua vida por entretenimento, nem homens, nem animais". Nem plantas, vale lembrar.

Chega.

Eu queria ter chingado muito no Twitter, mas o servidor deles parou hoje cedo e, aqui, não me limito a 144 char. Então, chinguei bem mais. Não, não estou detestando o mundo, não quero ir embora e nem morrer. Mas estas pessoas são dignas do troféu Vergonha Alheia. E eu diria que pra bater estas, em 2017, vai ser difícil (sim, ainda tem os políticos e empresários brasileiros concorrendo em outras categorias). Mas seguimos, cabeça erguida e peito aberto. Como disse no começo, o dia só é bom quando estamos de bem conosco mesmos. Começando o dia bom agora. Vai!

segunda-feira, 30 de junho de 2014

Poesia Nunca se Perde

Há muito tempo (tanto tempo que já não sei quanto tempo faz) escrevi este poema, inspirado em uma pessoa. Sem focar nesta personagem da história da minha vida, e sim na escrita propriamente dita, esta foi uma de minhas obras mais harmônicas, se não a mais entre todas, e gostaria de compartilhá-la com vocês. As musas, como disse em um post há pouco passado, são a chave para a escrita e são extremamente relevantes para qualquer produção. Entretanto, quero, nesta ocasião, ressaltar não a musa, mas a escrita.

Lembrem-se de deixar um comentário, aqueles que o desejarem. Palavras, quando direcionadas a algo - e principalmente a alguém - nunca são apenas um conjunto de códigos binários dispostos em lacunas paralelas, e sim um conjunto de pensamentos vivos, estruturados e localizados em um tempo-espaço próprios, carregados dos sentimentos de quem as escreveu.

Ilúvatar esteja com vocês.

Pour Tu

Na tela vejo as letras
Correndo livres, enquanto eu
Fico aqui, sentado, pensando
No dia em que esse amor nasceu

Nem consigo me lembrar
Talvez esteja perdido
Aqui, ali, em algum lugar
Que não me seja conhecido

Mas é certo que ele existe
Porque se assim não fosse
Não viveria sem que te visse
Não correria pra onde você fosse

Enquanto eu ainda não posso
Segurar a sua mão
Escrevo poeminhas em que roço
Meu sentimento em seu coração

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Elástico

Não foi um dos melhores, mas num momento de delírio consegui escrever este texto. Parece que os próximos textos serão mais longos do que era comum ao passado, mas sigo com aquela vontade de sempre, à mercê da inspiração, para produzir mais e mais, e cada vez mais sinto vontade de continuar, e escrever, e ler e partilhar.

"Jack Johnson tem um ritmo agradável. Fez, a partir do reggae, melodias bastante peculiares, com influência da música havaiana e alguns outros elementos que ele utiliza, juntamente com sua voz quase sussurrada. Um dos melhores músicos da atualidade, eu diria. Mas em minha mente, em meu cérebro, cada vez que acaba uma música, há alguma melodia dos anos 1970 ecoando no fundo desta minha noite chuvosa. Mais especificamente o hard rock de Nazareth.
O celular toca ao receber uma mensagem de texto. Meu pai. Toca. A menina que estuda comigo. E de novo, mas agora é a menina que trabalha comigo. Mais uma vez, com uma mensagem da minha tia. Estou conversando com estas pessoas, mas cada vez que ouço a campainha sinalizar uma nova mensagem eu pego o celular pensando ser uma mensagem sua.
Há uma caneca com chá sobre a cama. O computador está ao lado dela. A música vem dele. Eu estou na pior posição que poderia querer agora. Ok, talvez não sejas tão ruim, mas certamente não é tão boa quanto estar deitado do seu lado, sentindo seu perfume. Ou tomando um café, ou um chá, ou sabe-se lá o que. Seria melhor se fosse com você.
O violão está ao meu lado, sobre a cama, esperando uma canção. Mas se eu quiser uma canção agora, se eu fizer uma canção agora, ela será sobre saudade. Ou sobre sorrisos, lábios, noite, perfume e qualquer outra coisa que me faça lembrar você.
Eu vejo uma foto sua no celular e instantaneamente é como se não houvesse saudade. É quase como se eu pudesse estar realmente olhando pra você, tamanha sua presença em meu mundo. Ao mudar de tela a saudade volta e tudo volta a ser o que era. Você está longe, com seus cabelos e todas suas cores, com suas unhas coloridas e seu esmalte pela metade. E quando vejo, sobre a cama, um fio de cabelo longo, pego-o, pensando ser seu. Mas na verdade eu sabia que era meu desde o começo.
Eu olho para o chão, ao lado da cama, e posso imaginar um par de sapato seu ali, esperando seus pés quase sempre frios, mas parte essencial de você. Olho para o travesseiro vazio e imagino você ali deitada. Quase posso vê-la. Mas você não está aqui. Na verdade, está longe. Muito longe. Mas o aroma do incenso que está queimando na sala neste momento me faz lembrar de você. Não sei por que, mas faz.
O tempo passa, a vida passa, às vezes muito rápido, às vezes não. Mas enquanto você não está aqui parece um verdadeiro jogo de vai e vem, do início ao fim, depois ao início novamente. E este vai e vem me deixa preso no tempo-espaço de tal forma que nem sei onde eu estou pra querer que você esteja comigo.
As paredes, o teto, a música, os aromas, tudo se perde e retorna, como uma mola. Vai. Vem. Vai. Vem. A única coisa que me acompanha é a saudade. E parece que é ela quem dá mais impulso e resistência para a mola que impulsiona meus pensamentos nesta noite chuvosa.
Jack Johnson me parece ser bom pra uma noite solitária e chuvosa. Mas está tocando Nazareth. Pego sua rasteirinha para ir até a cozinha pegar uma xícara de café. Não, não era café que eu queria. E não era sua rasteirinha, era minha pantufa. Será que eu posso compor uma música que não fale sobre nada do que eu estou pensando agora?
Se eu acender um incenso talvez me acalme. Enquanto toco uma canção que fala sobre uma garota qualquer eu termino meu trabalho. Na verdade, não. Na verdade eu estou vendo um cabelo pairando no ar, suspenso num momento que não é meu, num espaço que não é seu. Neste momento as coisas se desaceleram, o som para, o coração para, os dedos param. A história para. E a história era sobre uma crônica, mas não era exatamente uma crônica. Era apenas um movimento em falso, um delírio durante o pulsar de uma mola perdida no cosmos, um sentimento vago, contínuo, delgado, suave e lacerante. Dá pra sentir seu calor na pele, se você se concentrar. Enquanto o universo viaja rápido demais...
Eu.
Pareço.
Estar.
Parado.
Bem.
No.
Meio.
Desta.
Saudade.
Na verdade... Eu só queria escrever uma crônica..."

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Compartilhando Experiências

A poesia está intrínseca no todo, em a Natureza, e ainda mais. Por ser Arte, tem como função sensibilizar o homem à grandeza do Universo, suas faces e eventos. Cada ser, com seu ponto de vista, observa-o e traça suas próprias impressões. Ao transformar estas impressões em palavras, surge a poesia. Segue uma impressão, de um ponto de vista, de um indivíduo da casa do Universo.

METAPOESIA

Vê se te desentorta!
Pareces letra morta.
Não adormeça na falta de rima.
Acordo-te
pra algo que não imaginas...
Com teus enleios abro portas.
Vê que és matéria-prima!
Pra uma obra que não termina.
Sinto-te
imperfeita.
És, não cativa, ativa...
Conduze-me
a mundos desconhecidos,
Recônditos mais íntimos de amores perdidos,
De almas de donzelas sofredoras,
A amores sonhados.
Às vezes te confundes perdidamente com a
ciência,
Às vezes abraça-te
sutilmente a almas,
Mas, com a história te encantas, casa-te...
Atravessas com teu penetrante olhar
O mais duro dos corações...
Fizeste-te
assim... ninguém parece te entender...


Mas, sente como se em algum momento
Fizeste parte de sua vida.
Assim és – moça singela –
Letras quentes-frias
Que nos conduzem tão
longe, tão perto –
És doce-útil
Poesia.









Postado por Márcio J. de Lima em Março de 2014. Exalado ao Universo em 24/10/2008.
Disponível em http://devaneiosliterariosdolima.blogspot.com.br/2014/03/metapoesia.html

terça-feira, 18 de março de 2014

Viktoria

Dezoito horas, vinte minutos - a Lua desperta, alva
A pele branca desperta antes do Sol se por
O rubor da face inocente surge lento, com calma
A alma perdida anima o corpo com fulgor

As mãos pequenas e ágeis ajudam a pequena
A procurar, na escuridão do quarto, as vestes
Negro couro e metal bem polido
E o perfume suave, como buquê recém colhido

Os olhos, há pouco pálidos e sem vida
Agora mostram-se vivos e atentos
Não há calor, nem amor, nem alegria
Não há paz, piedade ou sentimentos

Há, porém, um brilho notável e sombrio
Que congelaria, de um homem, a alma
Que destrói coragem, força e calma
E desperta abandono, fragilidade e frio

A pequena, rápida e precisa nos movimentos
Traz a lâmina oculta e longos cabelos a voar
Viktoria rastreia suas vítimas com determinação
Enquanto corre silenciosa sob o luar