quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Diener Eines Geistes (Trabalho de uma Mente)

Olá, amigos!

Hoje quero falar sobre um tema importante para a minha vida, que é a música (ohhh!!!!). Brincadeira. Não só pela música, mas pelo gênero. Postarei aqui uma canção da banda Lacrimosa, de Tilo Wolff (Ale) e Anne Nurmi (Nor), da Alemanha. É uma banda gótica com um bom repertório, iniciada em 1991, com Tilo e, em 1993, com a participação de Anne, nos vocais e teclados, o que deu uma nova harmonia ao grupo.
Anne e Tilo, em foto para divulgação de Fassade (2001)

A música se chama Crucifixio e foi escrita em 1993, faixa nº3 do album Satura:

Crucifixio

Ich will betend vor dich treten
Eu quero rezar antes de ser

Bin gekreuzigt am Pfal der Liebe
Crucificado no seio do amor

Christis Blut in meinen Tränen
O sangue de Cristo em minhas lágrimas

Sieh mich bitten
Olhai por mim, eu imploro

Oh, hör mein Flehen
Oh, ouça minha oração

Voller Liebe dich erleben
Cheio de amor eu quero senti-lo

Vertrauensvoll mich dir ganz ergeben
Você me fez totalmente confiante

Dieses Herz dir zu Füßen legen
Meu coração colocarei a seus pés

Mein kleines Herz
Meu pequeno coração

Willst du es nehmen
Você pode levá-lo?


Sei mein Engel - Sei meine Sünde
Seja meu anjo - Seja o meu pecado

Sei meine Sonne - Sei meine Sucht
Seja meu sol - seja meu vício

Sei meine Muse - Sei meine Lust
Seja minha musa - Seja o meu prazer

In dir verweilen - in dir verharren
Para te habitar - Para permanecer em ti


Lieb mich - halt mich - für immer führ mich
Me ame - Me segure - Para sempre me leve

In deine Welt - führ mich in dein Reich
Para seu mundo - leve-me para seu reino

In deine Aura, in deinen Geist
Em sua aura, em seu espírito

In deine Seele, in dein Fleisch
Em sua alma, em sua carne


Schenk mir nunmehr deine Schmerzen
Dê-me agora a sua dor

Lass uns teilen unser Leid
Vamos compartilhar nosso sofrimento

Lass uns teilen unsere Freuden
Vamos partilhar as nossas alegrias

Sei mein Teil - Ich liebe dich
Seja parte de mim - Eu amo você



E ainda tem gente que diz que música gótica é coisa do capeta...
Olha só, vamos fazer uma breve (prometo) análise da música.
Pra quem não sabe uma das paixões dos góticos são as igrejas, principalmente, óbvio, as de arquitetura gótica.

O goticismo surgiu na idade média por preconceito por causa dos romanos. Todos aqueles que não pertenciam à sociedade romana até o século XIII, aproximadamente, antes de se formarem as sociedades tais como as conhecemos hoje, eram bárbaros. O principal povo que ameaçava o norte da Europa, incluindo parte do território romano eram os Godos, da região da Normandia. Acontece que os romanos pregavam o equilíbrio, a perfeição e etc. Sendo assim, suas construções incluíam muitos arcos, curvas redondinhas, para mostrar ao mundo que eles eram os mestres do "equilíbrio". Já fundados no cristianismo, eles desejavam ser tão perfeitos quanto Cristo o foi. Acontece que os povos bárbaros, em sua maioria, não tinha conhecimento profundo do cristianismo e nem ligavam pra isso, pois eram pagãos (acreditavam em várias divindades que controlavam o universo). Eles, em sua crença, decidiram construir torres em direção ao céu, para alcançar seu criador, chegar mais próximo a ele. Eis que surgiu a arquitetura gótica, com torres altas, pontiagudas, sem muitas "redondezas" como os romanos.
O nome gótico saiu em consequência do nome Godos, os principais "bárbaros" temidos por Roma.
Igreja da Sagrada Família, em Barcelona.

Tilo Wolff ao compor Crucifixio conseguiu criar uma melodia única, jamais vi algo do gênero. É tão envolvente, com sons de sinos, órgão e sintetizadores que faz o ouvinte viajar nos diferentes tons reproduzidos durante os 6min24seg de música.
A letra, também sem precedentes no movimento Rock (sem ser o gospel) demonstra a fragilidade de uma criatura mundana, em busca do seu criador. Quando ele pede para que Deus seja seu pecado, seu vício e seu prazer, mostra-se perdido nos sabores do mundo, na carne, na dor. Mas mostra-se crente ao entregar seu coração, pedir para que seja levado ao seu reino (Jesus disse "meu reino não é deste mundo", lembram?), desejando livrar-se da vida pecaminosa.

Bem profundo para um rockeiro, ainda mais gótico, não é? Enquanto várias outras bandas fazem canções sobre a vida, sobre o mundo, sobre as sombras, suas criaturas e o sofrimento que envolve as pessoas (não são músicas depressivas, tirem isso da cabeça. Depressão é coisa de EMO), o Lacrimosa conseguiu reunir vários temas sobre a religiosidade. Outra música bastante interessante é Requiem, que é um trecho de uma obra de Mozart. Wolff com seus companheiros compuseram uma letra para a sonata e ficou magnificamente gótico, sem toques de rock, apenas o clássico mesmo, presente no primeiro disco da banda, Angst, de 1991.

Pode ser, às vistas de alguns, bastante chato e massante ouvir Lacrimosa, porque contém muitas características de música clássica, com órgãos, algumas vocallizações em tom de lamúria, algumas melodias bem entristecidas, mas garanto a vocês que também têm algumas composições bem diferentes, como por exemplo Diener Eines Geistes (Einsamkeit, '92; Alles Lüge, Dirus Mix, '93), Errinerung (Satura, '93), o album Inferno ('95), Siehst du Mich im Licht?, Deine Nähe, Stolzes Herz e Make It end (com vocal de Anne Nurmi) do album Stille ('97), várias canções em versões rock do disco Live ('98), Liebesspiel (chega a parece Metallica em alguns pontos, com vocal bem forte e guitarras pesadas) (Fassade, '01), Die Schrei Sind Verstummt, de 23 minutos, mais longa e mais pesada do album Echos, de 2003, cheios de solos de bateria, guitarra e alguns violinos acompanham alguns trechos. Pra quem gosta de rock com violino, indoco quase todas, mas se destaca o disco Lichtgestalt (2005).
A mais arrojada, digamos assim, a mais trash do Lacrimosa é Road to Pain, de Lichtgestalten EP, também de 2005.

Espero que seja uma boa dica. Pra quem ouve bandas de Metal gótico, vou avisando, é totalmente diferente, pois não tem bumbos batendo a 4 ou 6 vezes por segundo, nem guitarras agudíssimas, nem vocais líricos. É rock, tem um pouco de Heavy Metal, sons mais pesados e muito clássico no meio, de flautas a violinos, trompetes a percussões eruditas... É pra quem gosta de rock mesmo!



No mais, tudo tranquilo. Sábado a Isa disse que vem me ver. Será? o.O
(Ela vai me bater se ver isso...)
Postar um comentário